Nigéria

Nigéria visa cidadãos sem conta bancária como seus esforços para a adoção de e-Naira

  • A Nigéria é o primeiro país africano a lançar sua própria moeda digital, a e-Naira.
  • Apesar da proibição de transações de criptomoedas, a Nigéria tem um dos mercados de criptomoedas que mais crescem no mundo.
  • Muitos africanos preferem ganhar e economizar em criptomoedas, como stablecoins, para se proteger contra suas economias em declínio.

O Banco Central da Nigéria anunciou planos para pressionar pela adoção da moeda digital do país, a e-Naira. De acordo com o governador da CBN, Godwin Emefiele, o e-Naira está pronto para entrar em sua segunda fase de adoção e contará com tecnologia aprimorada para acomodar as necessidades de seus usuários.

Godwin explicou ao público no e-Naira Hackathon de 2022 em Abuja que o e-naira não era um evento único e estaria sujeito a melhorias frequentes. O e-Naira, lançado em outubro de 2021, é a primeira moeda digital do Banco Central (CBDC) da África.

O governador da CBN disse durante sua Fala,

A segunda fase do projeto já começou e visa impulsionar a inclusão financeira, integrando os usuários não bancarizados e mal atendidos […] com uma meta de cerca de 8 milhões de usuários ativos.

O chefe da CBN observou ainda que, a partir da próxima semana, os nigerianos podem realizar transações na carteira e-Naira por meio do código de dados de serviço suplementar não estruturado (USSD) em seus telefones celulares. Os usuários devem discar *997# para realizar transações de seus telefones.

Nigéria pressiona pela expansão do mercado de pagamentos digitais

O Banco Central da Nigéria emitiu o e-Naira como moeda legal e prevê uma ampla adoção nos próximos meses. Os novos recursos da moeda digital dariam aos usuários mais opções além de realizar transações. De acordo com o governador da CBN, os nigerianos também podem abrir uma carteira e-Naira em qualquer telefone que escolherem usando o código USSD designado. Por meio dessa atualização, o Banco Central da Nigéria pretende conceder a mais nigerianos acesso a serviços financeiros.

Falando dos planos da CBN para promover a inclusão financeira no país, Godwin disse:

O CBN aumentará o nível de Inclusão Financeira no País porque, assim como o Naira, espera-se que o eNaira seja acessível a todos os nigerianos. E proporcionaria mais possibilidades de trazer os não-bancarizados para a economia digital.

A Nigéria manteve uma postura rígida contra as transações de criptomoeda, mas parece adotar o pagamento digital. O Banco Central da Nigéria proibiu transações de criptomoedas em fevereiro de 2021, encerrando as esperanças de que o país pudesse adotar o Bitcoin como moeda legal.

No entanto, apesar dessa proibição, vários nigerianos permaneceram ativos no mercado de criptomoedas. Um relatório da empresa de pesquisa de criptomoedas Chainalysis revelou que o mercado de criptomoedas na Nigéria e na África cresceu mais de 1000% em um ano. Na época, a África foi relatada como a terceira economia criptográfica mais rápida do mundo.

Ao longo de 2021, os nigerianos negociaram mais de N316,9 bilhões em Bitcoin na Paxful. Os nigerianos tiveram mais de seis milhões de transações criptográficas e 16.000 transações diárias, tornando-os a nação número um na plataforma.

Um recente relatório também revelou que os nigerianos são a nação mais curiosa sobre criptomoedas desde o crash do mercado de abril. Muitos nigerianos se voltaram para o espaço criptográfico para combater sua economia em declínio. Segundo relatos, os nigerianos preferem ganhar e economizar em criptomoedas, especialmente stablecoins. Outros identificaram a economia como seu principal interesse em criptomoedas.

Lawrence Woriji Verificado

Lawrence cobriu algumas histórias emocionantes em sua carreira como jornalista, ele acha as histórias relacionadas ao blockchain muito intrigantes. Ele acredita que a Web3 vai mudar o mundo e quer que todos façam parte dele.

Últimas notícias